Rua Rangel Pestana, 550 • Centro • Jaú/SP


  Contato : (14) 3624-3823

Dicas

Aqui estão dicas e sugestões para um bom uso dos seus produtos naturais.

DIABETES E QUALIDADE DE VIDA

Muitas vezes o paciente irá vai depender de medicamentos, naturais ou sintéticos, de acordo com a necessidade individual de cada um, receitados e acompanhados pelo médico endocrinologista. Mas a primeira forma de auxiliar nosso corpo a conviver bem com a diabetes depende exclusivamente da aquisição de hábitos saudáveis de vida e nesse campo as terapias naturais podem auxiliar bastante.Movimentar-se e ter pensamentos saudáveis são tão fundamentais para equilibrar nosso corpo e nosso espírito quanto a dosagem correta de insulina necessária ao funcionamento adequado do organismo.

No amplo leque das terapias naturais vale lembrar o uso de florais, de aromas, de técnicas respiratórias e meditativas, de práticas corporais, de reflexologia, técnicas que auxiliam a diminuição da compulsividade – aquele impulso de comer rapidamente e sem discriminação – e ajudam a estabelecer uma rotina diária saudável e equilibrada.

  • Terapia floral – vários são os florais que auxiliam na redução de um comportamento compulsivo e no aumento da tolerância à frustração. Podemos citar o Quebra de corrente de vícios, que ajuda a quebrar círculos repetitivos, viciosos, facilitando o aprendizado de novos hábitos; Momento de Mudanças da vida, um floral importante para proteção e adaptação às fases de mudanças; Floral do Medo, para o medo da doença e Reequilíbrio alimentar para ter segurança de que se é capaz de seguir a dieta.
  • Aromaterapia – muito importante num momento que temos que lidar com a dieta é se concentrar nos aromas naturais dos alimentos e perceber que eles também nos saciam. Além disso, o óleo essencial de lavanda com laranja ou bergamota (1 gota de cada) em um aromatizador no ambiente das refeições ou em um aromatizador pessoal ajuda a relaxar e diminuir a compulsividade.
  • Práticas corporais, exercícios respiratórios e meditativos – muito se pode conseguir em equilíbrio incluindo-se duas ou três vezes na semana uma prática corporal, como yoga ou tai chi chuan. Mas também se pode alcançar excelentes benefícios corporais se apenas incluímos momentos de alongamento e respiração ao longo do dia. Uma das chaves para uma mudança de hábitos é a consciência. E estas práticas, muitas vezes bem breves, proporcionam momentos de clareza mental que ajudam nesta tomada de consciência da necessidade e dos benefícios de mudar.
  • Reflexologia – massagem ou automassagem nos pés é por si só uma ação relaxante. Além disso, estimula os órgãos digestivos e também o pâncreas, responsável pela produção de insulina.
  • Dicas indispensáveis, sempre – atenção à ingestão diária de água, mastigar bem e comer pausadamente evitando assuntos que aborreçam durante as refeições. Descanso e preparo para uma boa noite de sono, estabelecer um horário para uma reflexão diária ou uma leitura, ouvir ou tocar música, pintar, dançar e manter ativa sua vida social, além de participar de algum trabalho social, são atividades que redimensionam os desafios do dia a dia.

Enfim, podemos considerar que o diabetes é uma mensagem importante que o corpo emite pedindo a manutenção de hábitos mais saudáveis! E que temos aliados naturais para nós auxiliar na conquista de uma vida mais equilibrada e feliz!

FARINHA DE FRUTAS OFERECE DIVERSOS BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE

Nutricionistas alertam que para conseguir todas as vantagens da farinha de banana verde, maracujá, uva ou açaí, é preciso beber muita água.

Duas colheres de farinha de banana verde misturadas na água meia hora antes do almoço deram um sumiço na barriguinha de Laura. “Eu comecei tem dois meses. Eu vestia 40, agora estou vestindo 38”, diz.

A farinha de banana verde é o auge hoje das farinhas porque já está comprovado que a fibra dela é conhecida como amido resistente.

Ele vai alimentar as boas bactérias que nós temos no intestino, o que provoca uma menor absorção de glicose, menor absorção de gordura e um funcionamento intestinal melhor.

Na farinha feita com o bagaço da laranja o poder de queimar gorduras é ainda maior, mas atenção: é preciso ter certeza que é a laranja citrus aurantium, caso contrário, a pessoa consome a farinha de laranja, como fonte de fibra.

A farinha de maracujá tem pectina, uma fibra solúvel que além de ajudar no controle do colesterol e do nível de açúcar no sangue, reduz a absorção da gordura dos alimentos. Segundo pesquisas a pectina se transforma numa espécie de gel no estômago e diminui a fome.

Estudos já comprovaram também que a farinha de uva diminui o nível do colesterol ruim, o LDL, e o aparecimento de varizes, porque ativa a circulação e ainda ajuda a retardar o envelhecimento. “Também rica em resveratrol, ajuda a evitar o câncer”, diz Karin Honorato, nutricionista

Já os atletas podem usar a farinha do açaí, que tem todos os benefícios revigorastes da fruta, com uma vantagem: tem a metade das calorias da polpa. “O açaí é uma fruta calórica devido aos seus lipídios, a farinha não tem lipídios”,explia a nutricionista.

Atenção: para conseguir todos esses benefícios é preciso beber muita água, pelo menos oito copos por dia. É que as fibras precisam de líquido pra ajudar o intestino a funcionar bem. Sem água, o efeito pode ser contrário.

Se o desejo maior for de emagrecer, o ideal é consumir as farinhas trinta minutos antes das refeições, no máximo quatro colheres por dia, mas se o interesse for pelos outros benefícios das farinhas ela pode ser misturada até no feijão com arroz.

Reportagem Jornal Hoje Rede Globo 09/09/2010

USOS E BENEFÍCIOS DA SOJA NA ALIMENTAÇÃO

Com o nome científico de Glicine max, a soja é uma leguminosa que possui uma composição privilegiada, sendo considerada um dos alimentos mais completos. Ela apresenta proteínas de boa qualidade, minerais (cobre, ferro, fósforo, potássio, magnésio, manganês), vitaminas do complexo B, fibras, prebióticos e os chamados compostos fitoquímicos: isoflavonas, saponinas, fitatos, ácidos graxos essenciais (ácido linoléico e ácido alfa linolênico) e vitamina E.

Em princípio sua importância nutricional era relacionada exclusivamente ao elevado teor protéico, mas as atuais evidências científicas sobre seus benefícios à saúde fizeram com que a soja fosse considerada como um alimento funcional, ou seja, de acordo com a Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde no Brasil é: “todo alimento ou ingrediente que, além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta usual, produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos benéficos à saúde, devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica”.

Um dos seus componentes mais importantes é a isoflavona, também chamada de fitoestrógeno, que apresenta uma estrutura química semelhante ao estrógeno (hormônio feminino), e dessa forma, esses compostos parecem estar envolvidos em alguns benefícios à saúde.

Além da isoflavona, a soja é rica em gorduras poliinsaturadas, como os ácidos graxos essenciais, em especial o ácido linoléico (ômega 3) e ácido alfa linolênico (ômega 6). Aliados às isoflavonas eles atuam de maneira protetora sobre a camada interna que recobre as artérias, prevenindo a arteriosclerose e a trombose, que são processos de obstrução das artérias.

A soja tem se destacado recentemente pela literatura científica, por apresentar inúmeras propriedades nutricionais até então não conhecidas, no entanto é importante considerar que muitos estudos ainda são inconclusivos e não apresentam evidências suficientes para uma recomendação em relação à quantidade de soja a ser consumida para obter o benefício.

A American Heart Association (AHA), um importante órgão de referência científica do EUA, publicou um artigo em janeiro desse ano, apresentando as mais recentes evidências científicas sobre os reais benefícios da soja em relação a: doenças cardiovasculares, câncer de mama, menopausa e osteoporose.

Doenças cardiovasculares: a prevenção de ocorrer doenças cardiovasculares é a ação mais definida até hoje em relação ao consumo de soja. Estudos clínicos realizados comprovaram que a proteína da soja é capaz de reduzir os níveis de LDL colesterol (“mau”), que é considerado um importante fator de risco para as doenças cardiovasculares. Entretanto, segundo a AHA ainda não é possível estabelecer uma relação entre a proteína de soja e a melhora dos níveis de triglicérides, HDL colesterol e pressão arterial. Com base nisso FDA (Food and Drug Administation), órgão que regulamenta a produção de alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, aprovou a recomendação da ingestão diária de pelo menos 25g de proteína de soja (3 colheres de sopa ou 60g de grãos de soja) para reduzir os níveis de colesterol total e LDL colesterol.

Sintomas da menopausa: embora alguns estudos mostrem uma melhora dos sintomas da menopausa (calores intensos, fogachos, secura vaginal) pelo consumo diário de isoflavona, os pesquisadores ainda consideram os dados insuficientes para que seja feita uma recomendação de ingestão diária.

Osteoporose: presente principalmente em mulheres na fase pós-menopausa, alguns estudos mostram que a osteoporose está reduzida na população que consome mais soja, como a asiática. Os benefícios estariam relacionados à proteína da soja que reduz perdas de cálcio pela urina quando comparada à proteína animal, ao mesmo tempo em que as isoflavonas parecem contribuir na densidade óssea pela sua ação estrogênica. No entanto, mais estudos precisam ser realizados para definir melhor os benefícios da proteína de soja e estabelecer as quantidades de isoflavonas suficiente para promover a saúde óssea.

 

Câncer de mama: a população asiática comprovadamente tem menor incidência de câncer de mama, e isso foi atribuído ao alto consumo de soja. Alguns estudos apontam que as propriedades antioxidantes das isoflavonas podem ser responsáveis por sua ação anti-carcinogênica.

Apesar das evidências científicas sobre o efeito protetor das isoflavonas, ainda não é possível estabelecer uma recomendação segura sobre concentrações de isoflavonas que são realmente eficazes nas carcinogêneses.

 

Os resultados obtidos em muitas pesquisas são bastante promissores apesar de ainda controversos em alguns aspectos e indicações de uso da soja. Mas independente disso é importante considerar que essa leguminosa por si só apresenta altíssima qualidade nutricional considerando a riqueza de nutrientes presentes como: as fibras – importantes para a regularização do trânsito intestinal, reduzindo a obstipação (“prisão de ventre”).- as vitaminas, os minerais, o alto conteúdo de gorduras poliinsaturadas e o baixo conteúdo em gorduras saturadas.

A soja pode fazer parte do cardápio de diversas formas seja o próprio grão ou seus produtos como: a farinha, o extrato, a proteína texturizada, o tofu, o grão torrado entre outros. É importante destacar que cada produto possui características distintas em relação à sua composição, o que faz toda diferença no seu efeito sobre o organismo.

A melhor forma de consumir a soja é na sua forma integral, ou seja, o grão da soja, pois ele mantém todos os seus nutrientes. O grão pode ser consumido cozido, no preparo de saladas, bolos, tortas, sopas, purês. Como já foi citado, a ingestão diária de 60g do grão (cerca de 3 colheres de sopa) é suficiente para promover seus benefícios à saúde cardiovascular.

Alguns produtos derivados da soja são:

Proteína texturizada de soja: é vendida em flocos ou em cubos. Normalmente é produzida a partir dos flocos de soja desengordurados. Este produto é praticamente livre de carboidratos e de gordura, tendo 90% de proteína em peso seco. A proteína texturizada de soja é utilizada como alternativa a outros tipos de proteínas tradicionais em alimentos (carnes, aves, peixes e ovos), com a vantagem de ser isenta de colesterol e praticamente livre de gordura saturada. Para seu consumo precisa ficar 30 minutos de molho antes de ser preparada. A forma em cubos é ideal para preparo de estrogonofe, picadinhos e sopas. A forma granulada é ideal para o preparo de almôndegas, panqueca, hambúrguer, molho à bolonhesa. O consumo diário de 50g de proteína texturizada (aproximadamente 1 xícara de chá) é suficiente para promover benefícios à saúde.

Extrato de soja: é o extrato obtido do grão da soja submetido a tratamento térmico, descascamento, pré moagem e solubilização. Esse processamento promove perda de vitaminas, minerais, proteínas e isoflavonas. O extrato pode ser encontrado em pó, já pronto para o consumo, em vários sabores de frutas ou no sabor original e sua utilização se estende também para o preparo de molhos, patês, maionese, vitaminas, sopas, mingaus. Por não conter lactose é uma ótima opção para aqueles que são intolerantes ao leite (lactose ou proteínas do leite), porém o baixo teor de cálcio inviabiliza a substituição total por derivados do leite, por isso alguns produtos já possuem adição de lactato de cálcio que melhora o valor nutricional deste alimento.

Farinha de Soja: produzida a partir dos grãos de soja (desengordurados ou não) moídos e tostados. As farinhas de soja possuem aproximadamente 50% de proteína em peso, mantém boa parte dos nutrientes e são utilizadas no preparo de bolos, tortas, pães, sopas, biscoitos, entre outros. Pode substituir da farinha de trigo em algumas preparações e assim obter uma preparação isenta de glúten.

Tofu: feito a partir da soja, água e um coagulante natural, composto por sal mineral concentrado. Apresenta alto valor protéico, pouca quantidade de calorias, quase nenhuma gordura saturada e total isenção de colesterol. O tofu pode ser consumido cru, cozido, grelhado, doce ou salgado.

Com todas essas opções, é possível incluir a soja e seus produtos na nossa alimentação diária de maneira que suas propriedades possam proporcionar benefícios à nossa saúde. O cardápio apresentado a seguir é apenas um exemplo, cada pessoa pode fazer suas escolhas de acordo com suas preferências e necessidades nutricionais.

Café da manhã 1 copo de vitamina de banana*pão integral com queijo fresco

 

Lanche da manhã Iogurte natural com mel e aveia 
Almoço salada de alface e palmito3 colheres de sopa de estrogonofe de soja*

arroz

batata sautée

legumes mistos cozidos ao vapor

suco de frutas natural

 

Lanche da tarde salada de frutas com granola 
Jantar salada de rúcula e tomate cereja2 colheres de sopa de salada de soja*

arroz integral

brócolis refogado

salmão grelhado ao molho de ervas

suco de frutas natural

* Acesse essas e outras receitas no nosso site: www.amarilys.com.br

É importante considerar que o consumo de soja ou outros alimentos funcionais não garantem uma vida saudável se não forem incluídos no nosso dia-a-dia hábitos saudáveis, como uma alimentação equilibrada e a prática de atividade física regular.

Referências bibliográficas

Bellaver C, Cotrefal G, Grecco M. A soja integral: processamento e uso. Aliment. Anim. V7, p. 28-30, 2002.

Bennink MR. Dietary soy reduces colon carcinogenesis in human and rats. In: Nutrition and cancer prevention: new insights into the role of phytochemicals. New York: Plenum Publishers, 2000 p. 11-17.

Esteves EA, Monteiro JBR. Efeitos benéficos das isoflavonas da soja em doenças crônicas. Rev. Nutr Campinas, 14 (1), jan/apr. 2001.

Ferrari RA, Demiatti IM. Isoflavona de soja: uma breve revisão. Biological and Health Sciences, 1(7), p. 39-46, 2001.

Food and Drug Administration. Food labeling: Helth Claims; Soy protein and coronary heart disease. Federal Register Online, n206 v64, oct 1999.

Kyung KH, et al. Efeitos dos fitoestrogênios sobre alguns parâmetros clínicos e laboratoriais no climatério. Rev Bras Ginecol Obstet. 24(8), sept, 2002.

Keinan-Boker L, Der Schouw Y T, Grobbee D E, Peeters PHM. Dietary phytoestrogens and breast cancer risk. Am J Clin Nutr 79:282–8, 2004.

Morais ACC, Silva AL. Valor nutritivo e funcional da soja. Rev Bras Nutr Clin, 15: 306-315, 2000.

Nikander E, Tiitinen A, Laitinen K, Tikkanen M, Ylikorkala O. Effects of isolated isoflavonoids on lipids, lipoproteins, insulin sensitivity, and ghrelin in postmenopausal women. J Clin Endocrinol Metab 89: 3567–3572, 2004.

Persky V et al. Effect of soy protein on endogenous hormones in postmenopausal women. Am J Clin Nutr 75:145–53, 2002.

Philippi ST. Tabela de Composição de Alimentos: suporte para decisão nutricional. 2ª ed. São Paulo: Ed Coronário, 2002.

Roughead ZK, Hunt JR, Johnson LuAnn K, Badger TM, Lykken GI. Controlled substitution of soy protein for meat protein: effects on calcium retention, bone, and cardiovascular health indices in postmenopausal women. J Clin EndocrinolMetab 90: 181–189, 2005.

Rosell MS, Appleby P N, Spencer EA, Key TJ. Soy intake and blood cholesterol concentrations: a cross-sectional study of 1033 pre- and postmenopausal women in the Oxford arm of the European Prospective Investigation into Cancer and Nutrition. Am J Clin Nutr 80:1391– 6, 2004. Sacks FM, et al. Soy protein, isoflavones, and cardiovascular health: An American Heart Association Science Advisory for Professionals from the Nutrition Committee. Circulation, 2006; 113:1034-1044. Disponível em: .Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde no Brasil, 1999.

Setchell KDR. Phytoestrogens: the biochemistry, physiology and implications for human health and of soy isoflavones. Am J Clin Nutr, 134 (6), p. 1333S-1343S, 1998. Supplement.

Setchell KDR, Lydeking-Olsen E. Dietary phytoestrogens and their effect on bone: evidence from in vitro and in vivo, human observational and dietary intervention studies. Am J Clin Nutr; 78(suppl):593S–609S, 2003.

Spence LA, Lipscomb ER, Cadogan J, Martin B, Wastney ME, Peacock M, Weaver CM. The effect of soy protein and soy isoflavones on calcium metabolism in postmenopausal women: a randomized crossover study. Am J Clin Nutr 81:916 – 22, 2005.

Tose H, Neves ARN, Neves MB. Valor da soja como alimento funcional nas doenças cardiovasculares ateroscleróticas. Rev Bras Nutr Clin, 15: 316-320, 2000.

Trock BJ, Hilakivi-Clarke L, Clarke R. Meta-analysis of soy intake and breast cancer risk. J Natl Cancer Inst 98:459 – 71, 2006.

Wylie-Rosett J. Menopause, micronutrients, and hormone therapy. Am J Clin Nutr 81(suppl):1223S–31S, 2005.

Artigo escrito pela nutricionista Ana Carolina C. Teix

LINHAÇA – UM ALIMENTO FUNCIONAL CHEIO DE SAÚDE PARA VOCÊ.

Originária da Ásia, a semente de linhaça (Linum usitatissimum) pertence à família das lineáceas. Obtida a partir do linho, é uma das mais antigas plantas cultivadas. Os relatos mais antigos datam de 5000 anos AC, sendo consumida em várias formas como ingredientes em receitas e por suas propriedades medicinais.
Registros indicam que os egípcios utilizavam o linho para confeccionar as ataduras com que envolviam suas múmias. Na França do século VII, Carlos Magno decretou leis, entre as quais impunha o consumo de semente de linhaça aos seus súditos para que conservassem a saúde.
A semente de linhaça se destaca entre os alimentos funcionais por ser fonte de diversos fitoquímicos, entre eles o ácido alfa linolênico (w3) e lignanas. É também considerada uma boa fonte de proteínas, fibras solúveis e compostos fenólicos de ação antioxidante.
A semente também apresenta diversas vitaminas e minerais: B1, B2, C, E, caroteno e ferro, zinco, potássio, magnésio, fósforo e cálcio.

Ácido alfa linolênico (w3)

O ácidos graxos contidos na linhaça de destacam por seu potencial preventivo. Estudos mostram que o consumo de linhaça reduz o colesterol total e o LDL colesterol e a pressão arterial confirmando seu efeito cardioprotetor.
O óleo de linhaça é fonte de ALA que previne a hipercolesterolemia, trombose e ainda reduz a agregação plaquetária.
O ômega 3 da linhaça inibe a formação de mediadores pró-inflamatórios, o que reduz o risco de inflamação. A ingestão do óleo é uma alternativa para o tratamento de diversas formas de deficiência lacrimal. Reduz a inflamação ocular, alivia, ainda, sintomas da artrite reumatóide, psoríase, esclerose múltipla e lúpus. Indicado para peles secas, manchas, acne, espinhas e eczema.
Sua ação antioxidante, o faz potente contra a formação de placas de ateroma, além de reforçar o sistema imunológico.
Coadjuvante no tratamento da depressão. Melhora as funções mentais de idosos e de pessoas com problemas de conduta (esquizofrenia). Estudos demonstram que o ômega 3 presente na linhaça atua na prevenção de demência e mal de Alzheimer.
O óleo de linhaça prensado a frio é fonte de vitamina E, uma vitamina antioxidante importante para manter a qualidade do óleo e evitar a oxidação/perda do w3.

Lignanas

As lignanas da linhaça desempenham importante papel no equilíbrio hormonal.
Estudos com mulheres mostram o papel da linhaça na manutenção da saúde óssea e também seu efeito na redução de risco de câncer hormônio dependente. Auxiliam no combate a sintomas da TPM e menopausa e a prevenir o surgimento de câncer de mama, principalmente se combinadas as isoflavonas da soja.
Tem também efeito protetor contra câncer de próstata.
Pesquisas mostram que a linhaça é o principal alimento fonte de lignanas.

Fibras

As fibras da linhaça auxiliam no controle da glicemia e das taxas de colesterol sangüíneo, diminuindo o risco de diabetes e doenças coronarianas.
Estas fibras ainda previnem e reduzem o risco de câncer coloretal e a incidência de obesidade.
Ajudam na digestão e no bom funcionamento do intestino.

Proteínas

A proteína encontrada na semente de linhaça é uma boa fonte de arginina, glutamina e histidina, aminoácidos relacionados ao fortalecimento do sistema imunológico.

Dourada X Marrom

Existem dois tipos de semente de linhaça: dourada e marrom.
A linhaça marrom, nativa da região mediterrânea, já está adaptada ao solo brasileiro, e ao clima quente e úmido. Apresenta casca uma pouco mais dura e resistente, o que pode diminuir a biodisponibilidade dos seus nutrientes.
A linhaça dourada cresce em climas frios. Geralmente é importada do Canadá. Tem a casca mais fina e seu sabor é mais suave do que o da linhaça marrom.
Estudos já demonstram que não existe diferença significativa na atividade antioxidante e quantidade de nutrientes nos dois tipos de linhaça.

Como encontrar:

– Semente: grão intacto, fonte de ômegas 3 e 6, lignanas e fibras. Para que estes nutrientes possam ser absorvidos deve ser triturada ou moída. Lembrando que os ômegas se oxidam facilmente, então depois de triturada a linhaça deve ser guardada em pote bem fechado, opaco e sob refrigeração por até 3 dias.
A semente também pode ser germinada e adicionada a sucos verdes.
– Farinha: é obtida através dos grãos de linhaça torrados e moídos. Boa fonte de fibras, mas como a maioria é parcialmente desengordurada, tem menor teor de ômegas 3, 6 (gorduras) e de lignanas se comparada a semente inteira.
– Óleo: é extraído da prensa das sementes de linhaça, rico em ômega-3 e ômega-6. Prefira os 100% integrais e naturais, obtidos por uma única prensagem a frio, sem aditivos ou solventes. A exposição ao calor, à luz e ao oxigênio provoca oxidação dos óleos, por isso é importante escolher os não refinados embalados em garrafas à prova de luz (opacas).
– Cápsulas: uma forma de suplementar a dieta com ômega 3. O óleo de linhaça é encapsulado, tornando mais prática sua administração. Como qualquer alimento encapsulado, precisa de registro no Ministério da Saúde que garanta sua qualidade.
A linhaça ainda pode ser encontrada na composição de barras de cereais, biscoitos, bolos, granolas.
Contra indicações (farinha e semente): obstruções digestivas, íleo paralítico.
Dicas de uso
– A linhaça pode ser acrescentada em frutas, iogurtes, saladas, sucos, vitaminas, sopas e em preparações como bolos, tortas e massas de pães. Também pode substituir o óleo ou gordura utilizada em uma receita.
– A linhaça pode substituir o óleo ou gordura utilizada em uma receita de pão, bolo e massas em geral. 1/3 xícara (chá) de óleo é equivalente a 1 colher (sopa) de semente de linhaça moída.
– 3 colheres (sopa) de linhaça fazem o mesmo “efeito” de 1 ovo para dar liga ou consistência. Use em panquecas, bolos e bolinhos.
Colocar 3 colheres de sopa de semente de linhaça em ½ copo de água, deixar de molho por 4 horas e adicionar na receita em substituição ao ovo.
– Os benefícios da linhaça se potencializam quando a semente é moída ou triturada, já que a mesma passa sem sofrer digestão no trato gastrointestinal porque sua casca é resistente à ação do suco gástrico. Um modo fácil de quebrar as sementes é passá-las em um liquidificador na tecla pulsar, para que não vire pó. Guardar em pote bem fechado no refrigerador, e ao abrigo da luz por até 3 dias Também pode ser utilizada no último cozimento do feijão ou sopa.

Referências:

Carter, J.F. Potential of flaxseed and flaxseed oil in baked goods and other products in human nutrition. Cereal Foods World, v. 38, p. 753-759, 1993.

Colpo E. et al. Benefícios do uso da semente de linhaça. Revista Nutrição em Pauta, novembro/dezembro, 2006.

Lampe, J. W. Isoflavonoid and Lignan Phytoestrogens as Dietary Biomarkers. American Society for Nutritional Sciences, p. 956S-964S, 2003.

Manach, C. et al. Polyphenols: food sources and bioavailability. American Journal of Clinical Nutrition, v. 79, p. 727-747, 2004.

Oomah, B.D. Flaxseed as a functional food source. Journal of the Science of Food and Agriculture, v. 81, p. 889-894, 2001.

Siddiqui M. & Husain W. Traditional treatment of diarrhoea and dysentery through herbal drugs in rural India. Fitoterapia, v. LXII, n. 4, p. 325-329, 1991.

RAÇÃO HUMANA

Indicado para emagrecer, manter o peso, aumentar a resistência orgânica, regular intestinos,

Desintoxicar o organismo e para o tratamento complementar da menopausa.

 

Ingredientes: Fibra de Trigo; Leite de Soja; Farelo de Aveia; Gérmen de Trigo; Semente de Gergelim com Casca; Semente de Linhaça, Gelatina em Pó, Levedo de Cerveja em Pó; Farinha de Maracujá.

Acondicionamento, Vidros limpos e secos, fechados hermeticamente.

OBS: Conservar na geladeira no verão.

 

Dose diária (tomar pela manha):

1Copo de água em jejum;

2- Duas colheres de sopa com sucos de laranja, abacaxi ou mamão, com iogurte ou com leite.

 

FIBRA DE TRIGO: as fibras ajudam baixar os níveis de colesterol e estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Ajuda a prevenir o câncer de intestino, constipação, hemorróidas, obesidade e muitos outros problemas de saúde.

LINHAÇA: é rica em proteínas e ferro, além de possuir uma substancia que protege contra tumores de mamas, ovários e próstata. Associada com a proteína de soja aumenta a atividade do sistema imunológico. Rica em Omega 3, a linhaça tem efeito antiespasmódico, analgésico, antiinflamatório do aparelho gastrointestinal, combatendo gastrite e duodenite.

LEITE DE SOJA: a soja é capaz de reduzir o colesterol e regular a formação do osso. Rica em proteínas e sais minerais é de fácil digestão. Regulariza a pressão e fortalece todo o sistema imunológico do organismo. Rica em hormônios aumenta os níveis de estrogênio nas mulheres na menopausa. Possui atividades anticancerígenas e antivirais.

AVEIA: ela contém uma espécie de goma que envolve as moléculas gordurosas, dificultando sua absorção pelo organismo. Assim, o seu poder anticolesterol é capaz de reduzir a porcentagem de gordura circulante no sangue.

LEVEDO DE CERVEJA: é um suplemento alimentar muito rico, pois nele se encontram cerca de 17 vitaminas, 16 aminoácidos e 18 minerais. É a maior fonte natural de vitaminas do complexo B. Ajuda a regularizar as funções intestinais; ajuda o fígado no trabalho de desintoxicação do organismo, protege a flora intestinal, anemia, fadiga, reumatismo, artrite, gota, furunculose, celulite, obesidade, arteriosclerose, nevralgias, resfriados. É tônico para os nervos, aumenta a resistência física, embeleza a pele e tem ação antiinfecciosa e desintoxicante.

GERGELIM: é um alimento muito rico, consumido no mundo inteiro. Tônico dos nervos, combate dores reumáticas, tumores, acido úrico, memória fraca, hemorróidas, gastrites, ulcera, prisão de ventre, pressão alta. È um excelente repositor de cálcio.

GERMEN DE TRIGO: contém vitaminas dos grupos A, B, D, F, K e principalmente a vitamina E, que regenera os tecidos. Combate a menstruação irregular, dificuldades de crescimento e desenvolvimento, fraqueza muscular e infecções. Combate também doenças dos tipos reumáticas, como o torcicolo, reumatismo muscular e nervoso, doenças cardíacas e circulatórias.

GELATINA: enrijece os tecidos, aumenta a elasticidade da pele, combate a flacidez e a celulite, previne o aparecimento de rugas, fortifica unhas fracas e quebradiças e combate a queda de cabelo.

FARINHA DE MARACUJÁ: tem o poder de baixar as taxas de açúcar no sangue, o que é ótimo para quem tem diabetes. É um excelente bloqueador de gordura, ou seja, impede que o organismo absorva parte desse nutriente presente nos alimentos resultando desse processo, a perda de peso. O responsável por essa ação “emagrecedora” é a pectina encontrada na casca da fruta transformando-se numa espécie de gel provocando a sensação de saciedade. A pectina também reduz a velocidade com que o açúcar entra no sangue.

SUPLEMENTOS ALIMENTARES PARA PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA

Com a finalidade ergogênica e estética, tem sido observado o aumento no uso de suplementos alimentares e drogas. Estudos científicos vêm demonstrando que a performance e a saúde de atletas podem ser beneficiadas com a modificação dietética e o uso de suplementos. Devemos aliar a prática de atividade física orientada, alimentação saudável e o suplemento mais adequado.
Vale lembrar que para os indivíduos que praticam exercícios físicos sem maiores preocupações com a performance, uma dieta balanceada, que atenda as recomendações dadas à população em geral, é suficiente para manutenção da saúde e possibilitar bom desempenho físico.
Os suplementos mais utilizados são os carboidratos, as proteínas e hipercalóricos.
Os suplementos de carboidratos, a base de maltodextrina, dextrose, frutose e glucose, são indicados como fonte de energia, aumentando a resistência e o desempenho do atleta, além de evitar o catabolismo muscular.

MALTODEXTRINA – é um carboidrato complexo, utilizado como fonte de energia, de rápida absorção pelo organismo, repõe o glicogênio muscular, evitando a fadiga, melhorando o desempenho, e, por esse motivo, é largamente consumida por atletas. Funciona como um combustível, que deve ser “abastecido” antes do exercício, e reposto após e até mesmo durante a prática de exercícios. Ela é composta de açúcares em pó, solúvel em água através do amido de milho. Exemplo: carboplex
DEXTROSE – é um repositor energético para praticantes de atividades físicas e atletas. É um carboidrato de alto índice glicêmico, derivado da conversão enzimática do milho. É ideal para tomar quando se necessita de energia imediata e/ou logo após o treino, para a recuperação de energia e glicogênio gastos durante os exercícios.
FRUTOSE – é um tipo de carboidrato simples, um açúcar encontrado na natureza, isto é, extraído das frutas e do mel. É natural, conhecido mundialmente como o “açúcar das frutas”, ideal para atletas que necessitam repor suas energias e para crianças. Substitui o açúcar convencional tornando a alimentação mais saudável. Normalmente vem misturado a outros tipos de suplementos.
Devem ser usados antes, durante e após a atividade, garantindo desta forma o melhor desempenho do atleta.
Os suplementos de proteína são indicados para a síntese protéica, aumento de massa muscular e definição. Entre os mais importantes temos:
ALBUMINA
– é a proteína da clara do ovo, de alto valor biológico indicada para praticantes de musculação iniciantes, para uso depois do treino.
PROTEINATO DE CÁLCIO – é uma proteína tirada da soja, fonte de aminoácidos essenciais, vitaminas e minerais. Ideal para atletas, crianças e idosos. Para atletas deve ser usado após o treino; no caso de crianças e idosos, misturado a um suco ou leite a qualquer hora.
WHEY PROTEIN – é extraída do soro do leite. Contém todos os aminoácidos necessários para a síntese protéica. Tem excelente digestibilidade e alto valor biológico. Sua ingestão deve ser depois do treino e, de preferência, diluída em água.
AMINOÁCIDOS LÍQUIDOS OU EM TABLETES – são proteínas pré-digeridas, estando mais disponíveis para absorção e utilização rápida.
BARRAS DE PROTEÍNA – são proteínas concentradas em barras, fácil de transportar e consumir, facilitando a reposição imediatamente pós-treino.

 

 
BCAAS – são aminoácidos de cadeia ramificada, Valina, Leucina e Isoleucina. Sugere-se efeito anticatabólico, diminui o tempo de restabelecimento e recuperação muscular, além de melhorar a resistência do sistema imunológico.
Os hipercalóricos são indicados para aumentar a ingestão calórica da dieta. Contém carboidratos, proteínas e pouca gordura, além de vitaminas e minerais. Devem ser tomados vária vezes ao dia, entre as refeições, a fim de compensar as perdas maiores causadas pela prática de atividade.
Repositores hidroeletrolíticos atuam como isotônicos, utilizados durante a atividade física para repor água e minerais perdidos durante a atividade.
Termogênicos (queimadores de Gordura/fat burners) têm ação termogênica. Significa transformar em energia as calorias provenientes da gordura corporal e da alimentação. São compostos que visam através da ação termogênica manter o metabolismo acelerado para queimar mais gordura ao longo do dia, mesmo durante o descanso. Alguns dos ingredientes utilizados são: guaraná, cafeína, chá verde e CLA. Exemplos: fat burners, ripped fast, thermogenic ripped.
CLA – é um derivado natural de um ácido graxo poliinsaturado encontrado em concentrações relativamente baixas em carnes e leites. Estudos sugerem que o CLA tem muitas propriedades benéficas para a saúde. Recentemente, a procura aumentou devido a evidências científicas de que CLA tem um efeito positivo na metabolização de lipídios e proteínas, melhorando a composição corporal.
GLUTAMINA – (não é encontrada isolada, mas em formulação de outros produtos), é um aminoácido de importante função como nutriente (energético) às células imunológicas, a glutamina apresenta importante função anabólica promovendo o crescimento muscular. A dose recomendada é 5g.
Sua suplementação é indicada para redução de infecções em atletas e para reduzir a degradação de proteínas (leve efeito anticatabólico).
NO2 – óxido nítrico, é um gás natural que possui muitos efeitos como, por exemplo, aumentar a dilatação dos vasos sanguíneos (hemodilatação) e assim promover melhor nutrição celular, aumentar o volume muscular, e melhorar a oxigenação dos tecidos. Tem sido utilizado como suplemento como fator de bombeamento permanente para construção muscular. É indicado para bodybuilders, esportistas e atletas.
PRECAUÇÕES:
O NO2 NÃO DEVE SER USADO EM CONJUNTO COM VASODILATADORES SINTÉTICOS OU MEDICAMENTOS PARA O CORAÇÃO (EX.: VIAGRA, ISORDIL, CIALIS, LEVITRA E OUTROS)
ANIMAL PACK, EXTRA PACK, ETC. – são suplementos nutricionais desenvolvidos para fisiculturistas e atletas promovendo suporte para o treinamento intenso ou em competições. É uma combinação elaborada de concentrados nutricionais, otimizadores da performance metabólica, fonte de aminoácidos, glicogênio, energia e proteção anticatabólica. Seu uso é exclusivo para grandes esforços musculares.
OBS. O uso de suplementos não substitui a alimentação e a prática de atividade física.

VITAMINAS

São nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo e manutenção da saúde.

VITAMINAS LIPOSSOLÚVEIS FONTES ALIMENTARES FUNÇÃO RDA (INGESTÃO DIETÉTICA RECOMENDADA)*(PARA ADULTOS ACIMA DE 24 ANOS)
A Leite e derivados, vegetais amarelos e verde-escuros, peixes de água fria Saúde dos olhos, da pele, unha e cabelo, crescimento. Antioxidante HOMENS MULHERES
1000mcg UI 800mcg UI
D Leite e derivados, óleos de fígado de peixe, frutas oleaginosas Absorção de cálcio, dentes e ossos fortes 5mcg 5mcg
E Óleos vegetais, cereais integrais, vegetais verdes-escuros, gérmen de trigo Antioxidante, importante para músculos e glóbulos vermelhos, saúde da pele 10 mg 8 mg
K Espinafre, repolho, chá verde Coagulação sangüínea 80mcg 65mcg

 

MÁSCARA FACIAL PARA PELES OLEOSAS E COMBINADAS

Para peles acnéicas acrescente, 2 gotas de tea tree.

Argila Verde
1 gota de óleo essencial de hortelã-pimenta
2 gotas de óleo essencial de cipreste

Se a pele for acnéica, acrescentar 2 gotas de tea tree (melaleuca)

Ação:
Máscara adstringente e refrescante que combina a micro esfoliação da argila verde com o efeito tensor e adstringente do óleo essencial de cipreste, para promover tonicidade e maciez à pele, bem como a ação descongestionante e refrescante do óleo de hortelã-pimenta.
Promove uma suave sensação de frescor.
Auxilia no controle da oleosidade.

Máscara facial para peles sensíveis, desidratadas e manchadas

Argila Branca
2 gotas de óleo essencial de lavanda
1 gota de óleo essencial de palmarosa

Máscara hidratante e regeneradora, que combina o poder revitalizante e cicatrizante da argila branca com a ação citofilática do óleo essencial de lavanda e palmarosa, para promover a maciez e o clareamento da pele, restaurando o viço e a luminosidade.

Máscara facial para peles envelhecidas e cansadas

Argila Preta
2 gotas de óleo essencial de copaíba
1 gota de óleo essencial de gengibre

Máscara regeneradora e nutritiva para peles cansadas e desvitalizadas que combina, de forma sinérgica, o efeito estimulante do gengibre com a ação regenerativa e hidratante da copaíba, potencializado pela renovação celular promovida pela ação esfoliante da argila.

Máscara facial para todo tipo de pele inflamada

Argila Cinza
1 gota de óleo essencial de gerânio
2 gotas de óleo essencial de tea tree (melaleuca)
1 gota de óleo essencial de lavanda

Máscara cicatrizante e antiinflamatória, produzida pela argila com a ação dos óleos essenciais de gerânio, tea tree e lavanda, que ajudam a equilibrar as peles com acne de origem hormonal, por tensão ou estresse.

Mascar facial para peles mistas e desvitalizadas

Argila Marrom
1 gota de óleo essencial de laranja
1 gota de óleo essencial de mirra
1 gota de óleo essencial de lavanda

Máscara esfoliante e nutritiva, que combina a micro esfoliação produzida pela argila e potencializada pelos óleos essenciais de mirra, lavanda e laranja.
Ajuda no tratamento de rugas finas, peles manchadas e desvitalizadas.

Mascara facial para peles oleosas e asfixiadas.

Argila Amarela
1 gota de óleo essencial de cipreste
1 gota de óleo essencial de copaíba
1 gota de óleo essencial de lavanda

Máscara revitalizante e adstringente que combina a micro esfoliação produzida pela argila e potencializada pelos óleos essenciais de cipreste, lavanda e copaíba.
Ajuda no tratamento de peles desvitalizadas, com rugas finas e com poros dilatados.

 

Marcela Blasioli Bonni-CRF 28.127

Chá Verde Botica

 

INTOLERÂNCIA À LACTOSE

A alergia é uma resposta do sistema imunológico a algum componente do alimento – em geral, proteínas. A intolerância trata-se de uma reação adversa que envolve a digestão ou o metabolismo, mas não o sistema imunológico. Já a sensibilidade é uma resposta anormal, que pode provocar reação semelhante à alergia.Intolerância à lactose é a incapacidade de digerir a lactose, resultado da deficiência ou ausência da enzima intestinal chamada lactase. Esta enzima possibilita decompor o açúcar do leite em carboidratos mais simples, para a sua melhor absorção. Este problema ocorre em cerca de 25% dos brasileiros.

Há três tipos de intolerância à lactose, que são decorrentes de diferentes processos. São eles:

1) deficiência congênita da enzima: é um defeito genético muito raro, no qual a criança nasce sem a capacidade de produzir lactase. Como o leite materno possui lactose, a criança é acometida logo após o nascimento.

2) diminuição enzimática secundária a doenças intestinais: bastante comum em crianças no primeiro ano de vida e ocorre devido à diarréia persistente, pois há morte das células da mucosa intestinal (produtoras de lactase). Assim, o indivíduo fica com deficiência temporária de lactase até que estas células sejam repostas.

3) deficiência primária: é o mais comum na população. Com o avançar da idade, existe a tendência natural à diminuição da produção da lactase. Esse fato é mais evidente em algumas raças como a negra (até 80% dos adultos têm deficiência) e menos comum em outras, como a branca (20% dos adultos).

SINTOMAS

Os sintomas mais comuns são: náusea, dores abdominais, diarréia ácida e abundante, gases e desconforto. A severidade dos sintomas depende da quantidade ingerida e da quantidade de lactose que cada pessoa pode tolerar. Os sintomas podem levar de alguns minutos até muitas horas para aparecer. Apesar de os problemas não serem perigosos, eles podem ser bastante desconfortáveis.

TRATAMENTO

Não há tratamento para aumentar a capacidade de produzir lactase, mas os sintomas podem ser controlados pela dieta. A maioria dos jovens e adultos não precisa restringir a lactose completamente. As pessoas possuem diferentes níveis de intolerância à lactose. Os iogurtes normalmente não causam sintomas, já que as bactérias presentes nas suas fórmulas (lactobacilos) produzem lactase suficiente para a digestão da lactose.

O controle da dieta para as pessoas intolerantes depende de se experimentar os limites que cada um suporta, usando a tentativa e erro.

 

Alimentos que devem ser evitados

  • Leite de vaca, queijos, manteiga, requeijão e demais derivados de leite;
  • Preparações à base de leite (bolo, pudins, cremes, entre outros);
  • Bolachas, biscoitos que possuem leite em sua composição.

Alimentos Permitidos

  • Carnes em geral;
  • Margarina e geléias;
  • Todas as leguminosas (feijão, ervilha, soja, lentilha);
  • Arroz e cereais em geral;
  • Todas as verduras e legumes;
  • Leite de soja e de arroz, queijo tipo tofu;
  • Pães e bolachas que não contenham leite em sua composição.

Na lista a seguir temos a relação dos produtos que você pode encontrar em nossa loja especialmente para uma alimentação saudável e que podem ser consumidos por aqueles com intolerância à lactose.
Doces

bala de banana passa – Mongaguá
bala de própolis ,banana passa – Banana Brasil

fruta desidratada
maçã crocante – Croc Apple
cereal em barra sabor banana – Nutry
cereal em barra light sabor frutas – Nutry

Farinhas, cereais e grãos
arroz cateto integral – Mãe Terra
arroz integral – Mãe Terra
aveia em flocos – Mãe Terra
aveia integral prensada – Mãe Terra
biscoito integral aveia e mel – Kobber
flocos de arroz,canjica de milho
cereal à base de farelo de trigo e aveia – Villamar
extrato de soja – Mãe Terra
farelo de aveia – Mãe Terra
farelo de trigo – Mãe Terra
farinha de aveia integral – Mãe Terra
farinha de banana (verde e madura) –
farinha de soja – Mãe Terra
farinha de trigo integral – flocos de milho c/ açúcar mascavo – Mãe Terra
flocos de milho s/ açúcar – Mãe Terra
gergelim (descascado/integral) – Mãe Terra
gérmen de trigo (cru/tostado) – Mãe Terra
granola diet – Villamar
granola light – Villamar
granola tradicional – Villamar

Quinua real (farinha e grãos)
soja torrada – Mãe Terra
semente de girassol –
semente de linhaça –
soja em grãos – Mãe Terra

sopa bem-me-quer – Vida Boa
sopa integral – Vida Boa
sopa primavera – Vida Boa

Outros
adoçante Estevita gotas
cacau em pó – Mãe Terra

frutose – Gersal – Mãe Terra
guaraná em pó – Mãe Terra
levedo de cerveja – Mãe Terra
levedura – Prolev
– mix de fibras
proteína texturizada de soja – Mãe Terra

Marcela Blasioli Bonni

Farmacêutica Chá Verde Botica

OPÇÕES DE TRATAMENTO COM FITOTERAPIA

1-Alecrim(Rosmarinus officinallis l.)

Ação antiinflamatória,analgésica e hepatoprotetora,muito eficaz nas cefaléias.

-infusão(folhas):1 xícara (150ml) 3-4x/dia

-tintura(20%):80gts em pouco d,água 3x/dia

Precauções:não deve ser usado na gravidez,na lactação,pacientes com gastrite,doença de Parkinson,doenças neurológicas,crianças menores de 6 anos.

 

2-Gengibre(zinziber officinale )

Ação analgésica nas cefaléias.

-Infusão:rizomas:1 xícara(150ml) 3-4x/dia

 

Opções de tratamento para diarréia

 

1-Carvao vegetal ou carvão ativado

Precauções:administrar medicamentos 2 horas antes ou 2 horas após o uso do carvão ativado.

 

 

2-Barbatimão(stryphnodendron adstringens)

-infusão:casca do caule-150ml 3-4x/dia

Tintura(20%):40 a 60gts em água 3x-dia

 

3-Guaçatonga(casearia sylvestris)

Ação gastroprotetora,antiinflamatória e antidiarreica.

-infusão:folhas-1 xícara 150ml 3x/dia

-Tintura:40 a 60gts em água 4x/dia

 

4-Hortelã(Mentha piperita)

Antiinflamatória em colites,síndrome do colo irritável.

-infusão(folhas)-1 xícara 150ml 3x/dia

-tinturas-40 a 60gts em água 3/4x/dia

 

Opçoes de tratamento para dor

 

1-Eva baleeira (cordia verbenácea)

Ação antiinflamatória e analgésica.

-uso:cremes,pomadas e géis a 10%.

Aplicar 3-4x/dia

-tintura:80gts em água (uso interno)

 

 

 

2-Mentol (mentha piperita)

Óleo essencial a 0,1%.(diluído).

Aplicar 4x/dia.

 

 

Opções de tratamento para febre

 

1-Calêndula (calendula officinallis)

Atividade analgésica e antipirética.

-infusão:folhas-1 xicara 150ml 3-4x/dia

-Tintura:80gts em água 4x/dia.